Depois de dois anos, voltamos ao Purus!

Depois de dois anos, foi bom conseguir visitar as comunidades ribeirinhas do Rio Purus, para encorajar uns aos outros e louvar a Deus juntos. Nós tivemos também um tempo muito bom e de aprendizado na aldeia, com boas novas amizades e memórias.

Sera que conseguimos comprar o nosso carro novo???

Aa uniwaniti? (Como vocês estão?) 
Com uma mistura de sentimos eu entrei no barco com o Saulo e o Lucas para fazer uma viagem de 4 horas. Do outro lado, eu senti a tensão de como isso seria para o Saulo, por ser tanto tempo em um barco pequeno em um rio tão grande. Mas eu estou muito feliz por poder fazer essa viagem depois de dois anos. Você lembra? No final de 2017 nós viajamos para duas comunidades ribeirinhas com um grupo de 7 amigos para um tempo de oferecer estudos bíblicos de forma oral. Depois de um pouco mais de duas horas de barco nós paramos em uma comunidade chamada Jurucuá. Fomos recebidos com sorrisos: vocês estão de volta e com um bebê! Peixe fresco e farinha foram colocados na mesa para podermos comer nosso almoço e a também a desfrutar da boa companhia. Foi bom ver e conversar com amigos nessa  comunidade depois de dois anos. Depois de nos despedir, nós continuamos de barco até chegamos a comunidade chamada Samauma. Aqui nós ficamos à noite para podermos continuar a viagem no próximo dia, para podermos finalmente chegar a aldeia onde aconteceria as aulas práticas do escola transcultural que fizemos ano passado.

A comunidade ribeirinho Samauma no Purus.

Quando chegamos ao porto da aldeia, começou a chover. Daí, só é possível chegar a pé até a aldeia. Nós dois tínhamos duas mochilas grandes e o Saulo no canguru com o Lucas. O Lucas subiu com o Saulo o porto escorregadio engatinhando, era íngreme e escorregadio e de barro, meu coração subiu pela boca!! Era muita tensão e entusiasmo ao mesmo tempo. Por causa da chuva, nós passamos à frente da equipe com o Saulo. Eu nunca poderia imaginar que um dia estaria andando com meu filho e meu marido no meio da floresta amazônica em direção a uma aldeia indígena… parece loucura! O caminho se  se dividiu em dois, aonde temos que ir agora? Bem distante ouvimos algo como pessoas jogando futebol, então decidimos caminhar em direção ao som. Subimos outro caminho escorregadio, quando chegamos lá em cima, muitas pessoas nos olhando. Depois de o Lucas nos apresentar a um dos rapazes, nós fomos direto ao local onde iríamos ficar. Ficamos lá, esperando por alguma liderança da aldeia, todas as crianças e mulheres ficaram nos olhando. Saulo destacou-se por ser um bebê diferente dos outros bebês, com olhos diferentes e pele diferente. Era um sentimento muito bom e indescritível; nós nos sentimos amorosamente recebidos nessa aldeia. 

Os alunos da escola transcultural foram divididos em pequenos grupos e foram instruídos a aprender 20 novas palavras por dia da língua local. Nós usamos o mesmo método que uma criança usa para aprender uma língua: nós mostramos algo, fotos, fazemos algum movimento e por este meio, ouvindo repetidamente a palavra. Os alunos também descobriram que algumas palavras “não existem na língua local”, por serem objetos que foram trazidos de fora. Então é usado a palavra em português, não na língua. Por exemplo para “obrigado” é usado uma palavra que descreve um sentimento: algo que é muito bom. Descreve mais “gratidão” do que “obrigado”. É maravilhoso descobrir como cada aldeia tem sua própria cultura, e também ser capaz de descobrir isso através da língua. Foi muito bom ouvir dos alunos que fui também um suporte de encorajamento para eles. 

O Saulo que ama a natureza..

Visitando essas aldeias no Rio Purus, nos vem o desejo de voltar a aldeia que nós trabalhamos. Sermos capazes de entender mais da sua rica cultura, fazendo e falando. E sim, isso é possível. Obrigado por todas as orações e doações, nós conseguimos comprar nosso carro! Se Deus quiser, nosso plano é viajar a aldeia em duas semanas para fortalecer a nossa relação com eles. Obrigado por seu suporte e obrigado Deus, por sua liderança. 

O nosso novo carro, forte e seguro..

Você pode orar conosco? 
– Pela liderança de Deus na preparação para a nossa
volta a aldeia. 
– Para que Deus prepare o coração dos habitantes da
aldeia.
– Que o Espírito de Deus possa ser reconhecido com o
maior Espírito. 
– Segurança e unidade para nós como família, que
possamos estar juntos e especialmente juntos em
Deus. 
– Nos manter na sua liderança, mesmo quando nossos
sentimentos estão dizendo o contrário. 

Nós também gostaríamos de agradecer por:
– Pela possibilidade de visitar a aldeia novamente. 
– A compra do nosso carro.
– Nossa saúde, em especial a do Saulo, que está
crescendo e se desenvolvendo muito bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *